Saúde de Ribeirão Pires fortalece cuidados aos pacientes crônicos

Por meio de parceria entre Prefeitura e Estado, cidade amplia a experiência pioneira na região iniciada em 2017 na UBS da Quarta Divisão para toda a rede Básica

A rede municipal de saúde da Estância Turística de Ribeirão Pires iniciou processo de ampliação do projeto Laboratório de Atenção às Condições Crônicas nas unidades da Atenção Básica. Por meio de parceria entre a Secretaria de Saúde e Higiene da Prefeitura e a Secretaria de Estado da Saúde, a cidade, que foi a primeira no Grande ABC a receber o novo modelo de atendimento, fortalecerá os cuidados na integralidade e continuados aos pacientes com condições crônicas.

Nessa terça-feira, dia 4, profissionais das dez equipes da Estratégia de Saúde da Família participaram da primeira capacitação realizada por técnico do Estado. Até o próximo ano, serão realizados dez treinamentos que irão preparar os profissionais para atuarem com o novo modelo. São exemplos de condições crônicas doenças de evolução crônica (diabetes, asma, doença mental, cardiopatia etc); controle de saúde da população mais vulnerável (gestantes, crianças e idosos); doenças infecciosas de evolução crônica (tuberculose, HIV, hepatite C etc); sofrimentos em saúde sem diagnóstico clínico definido (queixas múltiplas, hiperutilizadores de serviços); deficiências congênitas ou adquiridas.

“Este projeto propõe organização da Atenção Primária à Saúde, inserida em uma rede de Atenção à Saúde, de modo que ela ordene este sistema. Com muita satisfação fomos os primeiros implantar o primeiro Laboratório da região e agora estamos ampliando para as demais unidades, com o objetivo de estarmos melhor preparados para atender os pacientes crônicos, a exemplo de diabéticos, para acompanhar de perto a saúde desses pacientes e assegurar o acesso aos serviços necessários”, avaliou a secretária de Saúde e Higiene da cidade, Patrícia Freitas.

O modelo utilizado no Laboratório de Atenção às Condições Crônicas segue literatura de Eugênio Vilaça Mendes, estudioso de sistemas de saúde em todo o mundo e autor do livro “O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família”.  Na obra, Vilaça define que a atenção primária à saúde deve cumprir três funções essenciais que lhe imprimem a característica de ordenação dos sistemas de atenção à saúde: “a função resolutiva de atender a 85% dos problemas mais comuns de saúde; a função ordenadora de coordenar os fluxos e contrafluxos de pessoas, produtos e informações nas redes; e a função de responsabilização pela saúde da população usuária que está adscrita, nas redes de atenção à saúde, às equipes de cuidados primários”.

A territorialização e cadastramento familiar; a estratificação de vulnerabilidade das famílias; o plano de cuidado aos moradores; os fluxos de acolhimento; a organização do Laboratório na UBS e na rede; e o monitoramento do projeto integram os temas que serão apresentados às equipes de Ribeirão Pires.

Em junho de 2017, Ribeirão Pires recebeu, de forma pioneira na região do ABC, o projeto do Estado, com piloto implantado na UBS da Quarta Divisão.

Deixe uma resposta